Imagens

Todas as imagens utilizadas em nosso site, foram retiradas do mecanismo de busca GOOGLE. Fotos com créditos, permanecerão com eles. E fotos retiradas diretamente do site de autores, receberão seus devidos créditos. As demais imagens, foram retiradas de uma origem sem identificação. Por isso, se sua imagem esta em nosso site e você queira retirá-la, por favor, nos envie um e-mail para ciageracaoprofetica@hotmail.com que faremos conforme seu pedido. As fotos retiradas do Google, em hípotese alguma, serão alteradas sem a devida autorização de seus autores. No mais, obrigada.

Seguidores

Receba nossa News Letter

27 de fev de 2012

Inspiração do dia: "Eu ama dançar com você, Pai"

Título: "I love dancing with you, Dad"
Bailarino: Bruno Farias
Grupo: NGC Dance
Imagem: Mony Estigma
Edição: Bruno Farias

Inspiração: 

"Deus, meu Pai, meu amor, meu tudo. Razão de tudo! Deus, meu ar, meu farol, o farol que eu preciso. Como eu preciso! Eu preciso te sentir todo dia. E olhar pra tua luz pra não me perder.
Meu Senhor tu és a minha alegria. Eu preciso...
Deus da minha vida, fica comigo? Sou a tua casa, mora em mim? Deixa eu te dizer o que eu preciso, Pai? Eu preciso do Senhor".

Trecho da música:
Deus da minha vida - Thalles Roberto

Módulo 1 - Extra - A saúde do bailarino (a)

Olá pessoal! 

Perdão pela ausência na última semana. Estamos ajustando alguns detalhes sobre o workshop de dança que faremos este trimestre para vocês. E aproveitamos o feriado de Carnaval para organizar algumas coisinhas extras.

Na aula de hoje, falaremos um pouquinho sobre a saúde dos bailarinos. Que cá entre nós, é a importância primordial para um bom desenvolvimento na dança. 

O começo, é realmente complicado. Muitas pessoas desistem de dançar logo nos primeiros dias de alongamentos e exercícios. Isso, por que o corpo estava acostumado com um sedentarismo e de repente, se depara com um "estica e puxa" dos nervos, que trazem muitas dores, por conta da tal fadiga muscular que tanto falo para meus alunos.

A pergunta que não quer calar: É normal doer tanto? 

Para quem esta começando, é mais do que normal. As regiões que mais doem, é a coxa (lateral inferior e parte de trás), panturrilhas (algumas, até dão a sensação de que estão inchadas), virilhas (parecendo que vai esticar tanto um nervo que ira arrebentar o osso da perna) e por fim, os braços (principalmente nas partes laterais). Em alguns caso, o pescoço também entra no ritmo. Em todos os casos, a dor "primária" é chata e realmente incomoda.
Por isso, vamos trazer à vocês, algumas respostas (baseadas em estudos internacionais) e soluções para essa dor toda! 


Introdução:

Nosso corpo, possuí ossos, e nossos ossos, músculos e tendões, correto? Esses tendões, é aquilo que conecta nossos músculos aos nossos ossos. Ok, isso você já sabia. Talvez, o que você não saiba, é que um simples movimento "forçado", pode causar uma distensão nessas estruturas. Muitas dançarinos, ficam com distensões durante as primeiras aulas. Isso, por que ainda não sabem quais são os próprios limites e não seguem as regras impostas pelos professores. Sim! Quando digo isso, quero dizer que: Quando seu professor ou líder, pedir que você faça o alongamento com calma, e sempre que desenvolver o movimento, retorne com a mesma paciência para o ponto inicial, faça isso! Do contrário, essa pequena "rebeldia" pode te deixar com uma dorzinha desagradável durante uma semana, ou quem sabe, até o próximo ensaio.

"Mas eu alongo, tudo corretamente. Faço tudo o que meu professor manda."
Se seu professor esta começando o alongamento corretamente, seguindo etapas importantes; cabeça, ombros, braços, abdômen, quadril, coxas, joelhos, panturrilhas e pés... Você não esta alongando corretamente. Nunca se esqueça de executar o movimento e voltar ao ponto inicial da mesma forma que iniciou. Como esta dizendo no começo do texto, um simples movimento "forçado" pode causar lesões.

Entenda uma coisa: Seu professor é responsável por passar o alongamento e exercícios corretamente. Mas VOCÊ é responsável por executá-los corretamente e seguindo o seu próprio ritmo e limite.


1. O que é a distensão muscular?
Não deve-se confundir fadiga muscular com distensão ou tensão de nervos. Por isso, é importante que você conheça seu corpo, e sintomas, para saber o que você tem, onde dói e o que você dirá ao seu médico ou fisioterapeuta (é sempre importante que haja um acompanhamento de fisioterapia no começo das aulas). 

É a ruptura espontânea de várias fibras musculares causada por esforço, com dor súbita e forte durante o movimento e que, às vezes, impossibilita que o músculo afetado se movimente. A dor desaparece com o repouso, mas reaparece com o movimento. Às vezes, pode caracterizar-se pela presença de manchas vermelhas ou escuras sobre o local comprometido, devido ao sangue liberado pelos vasos sangüíneos na ruptura muscular.

Você pode até aplicar gelo ao redor ou sobre a parte afetada durante 20 ou 30 minutos, fazendo uma leve compressão e com intervalos de pelos menos uma hora (isso enquanto houver aumento de volume no local, o que acontece nas primeiras 48 a 72 horas). Após o terceiro dia, deve-se aplicar calor úmido em torno ou sobre a parte lesada. Isso estimulará a circulação, o que eliminará os produtos nocivos do metabolismo celular, acelerando o processo de cicatrização. Após o terceiro dia, também pode ser usado o contraste calor-frio, ou seja, 5 minutos de calor para 4 minutos de gelo. Esse tempo vai sendo reduzido gradativamente até um minuto de calor. Após o desaparecimento da dor aguda, o retorno do bailarino à atividade deve ser feito com aplicação de calor local durante 10 a 15 minutos antes da aula e aplicação de compressas de gelo também durante 10 a 15 minutos depois da aula. Isso evitará que o edema se instale. Exercícios de alongamento e fortalecimento muscular devem ser feitos a fim de que a musculatura atrofiada pelo desuso seja novamente preparada para o retorno às atividades normais. Se durante a atividade o local lesado se mostrar mais doloroso do que antes de iniciá-la, pare, aplique gelo e procure o seu médico ou fisioterapeuta. 

2 - QUANDO USAR GELO NAS CONTUSÕES?

Sempre. Seja uma lesão muscular, nos tendões ou ligamentos, nas articulações ou após qualquer trauma, o uso imediato de gelo (bolsas, sacos plásticos, cubos etc.) é muito importante para reduzir o edema e a dor. De preferência, ele deve ser aplicado antes de decorridos cinco minutos do traumatismo. Em regiões grandes, a aplicação deve durar meia hora. Em regiões pequenas, como os dedos, por exemplo, não se deve passar de cinco a dez minutos. O uso de anti-inflamatórios (orais, injetáveis ou tópicos) deve ser instituído o mais precocemente possível.

3. QUAIS OS PROCEDIMENTOS DE UM ENSAIO TÉCNICO DE DANÇA?
Costuma-se orientar os atletas a seguir a seguinte proporção:
  • 5% do tempo total de treino em alongamento;
  • 10%, no aquecimento;
  • 70%, no treino propriamente dito;
  • 10%, no desaquecimento,e
  • 5% no alongamento final.
4. O que é dor muscular? Eu posso evitá-la? Como?

Quando se fica muito tempo sem atividade física e de repente se faz um exercício moderado ou intenso, é inevitável o surgimento de uma dor que atinge grandes grupos musculares, que aparece no dia seguinte e costuma durar de dois a três dias. Muitos autores tentaram identificar a causa. De todas as teorias parece que a melhor é aquela que fala que essa mialgia é causada por microrroturas do tecido muscular, e do tecido conjuntivo que envolve as fibras e os fusos musculares. De fato, algumas pesquisas encontraram a substância hidroxiprolina nesses músculos o que indica danos no tecido conjuntivo. Mas, quando ela aparecer, deve-se usar um relaxante muscular, associado a um antiinflamatório, aplicação de calor nos locais doloridos sob a forma de forno de Bier, compressas quentes, saunas etc. Não se deve ficar sem exercícios nesses dias; exercícios aeróbicos breves (por exemplo, 15 minutos) e alongamentos estáticos por dois minutos nos músculos atingidos são medidas muito importantes para facilitar a recuperação muscular. Evidentemente, na vigência da dor, os grandes esforços devem ser evitados.

5. POR QUE FAZER ALONGAMENTO?

Os exercícios de alongamento muscular devem ser obrigatórios antes de cada sessão de atividade física. Previnem lesões musculares e tendinosas, evitam dores musculares e aumentam a amplitude dos movimentos articulares. Em alguns casos, principalmente quando se está em programa de reabilitação de lesões ou em sessões de exercícios muito estafantes, os alongamentos também devem ser feitos ao final da atividade.


Legenda:
Texto nesta cor = texto próprio da cia

A parte 2, eu publico amanhã! Boa noite pessoal!

13 de fev de 2012



Acreditar em Deus, é uma questão de fé. Nós sabemos disso. E nossa fé, há dias que esta muito pequena. Tão pequena quanto um grãozinho de mostarda. E então, toda a nossa dor, se revela diante de Deus. E como homens, humanos, fracos, questionamos onde Deus esta. E são nesses dias, que devemos "dançar sobre a dor". Sim, eu disse: "Dançar sobre a dor". 

Há poucos dias, conversava com os integrantes do grupo de jovens que lidero, e usei vários exemplos; isso era realmente o certo a fazer. E ainda citei que o Criador se sente feliz, quando "quebramos o silêncio".

A dança na igreja, não é o foco deste artigo.
Mas quero dar um adendo aos ministério de dança espelhados pelo Brasil:

"Precisamos entender, que não estamos aqui, apenas para elaborar uma bela coreografia e fazer pessoas se deslumbrarem perante uma bela apresentação. Como profetas das artes, da dança, do teatro, ou seja o que for, precisamos romper barreiras, vencer medos, cortar laços, passar vales, despedaçar correntes, pisar sobre escorpiões. Não podemos nos calar, e devemos QUEBRAR O SILÊNCIO, gritar através de nossos corpos. Gritar por compaixão, justiça, redenção, humildade, honestidade, amor, amizade... Pois Deus, é o mesmo e será o mesmo. Mas nós, os homens, não. Nós mudamos, todos os dias, todo tempo. E isso é para todos os levitas. O clamor, não pode se corromper. O amor não pode diminuir. Se não se conforma: então GRITE! Quebre o silêncio. Eu repito: QUEBRE O SILÊNCIO! Seja com sua dança, com sua interpretação, com sua escrita, com sua palavra, com sua oração, com sua música... Quebre o silêncio."

E por estar em meio a levitas, que dançavam, tocavam e cantavam, usei várias músicas como exemplo. E uma delas, foi "Outra frequência". E sei, que muitos que um dia lerão isso, irão me julgar, me criticar. Porém, eu não me importo. O foco aqui, é exatamente esse: "E nós, dançamos no silêncio. Choramos no carnaval. Não vemos graça, nas gracinhas da TV. Morremos de rir com o horário eleitoral". E quero que atire sobre mim primeira pedra, os "cristãos" que acham essa frase banal.

É. Não há pedras. Ou há?
Não. Não há.

Foi exatamente isso. Com essa mesma simplicidade, que Deus ministrou em meu coração enquanto meditava sobre os acontecimentos dos últimos dias para um grupo de jovens levitas.

E trouxe duas músicas, que dizem melhor que eu, que devemos "Dançar sobre a dor, sobre o silêncio".

Que serão as músicas que escolhemos para um evento que acontecerá em breve em nosso ministério.

E são elas:
Glória

Alguém pergunta : "Onde Deus está?"
Nações se abalam, tudo passará
Mas minha rocha não se moverá
Meu coração não vai parar de adorar

Eu vou dançar sobre toda dor,

O Senhor deu e o Senhor tomou
Eu vou dançar sobre toda dor,
Bendito seja o nome do Senhor

Glória,Glória,Glória, a Ti Senhor
Glória,Glória,Glória, a Ti Senhor
Glória,Glória,Glória, a Ti Senhor

Sobre "Glória".
"Alguém pergunta: 'Onde Deus esta?"'; quantas e quantas vezes, nós, incrédulos, fazemos essa pergunta? Afinal, onde esta Deus quando mais preciso: na dor?

A resposta, é simples: Ele esta na dor. Exatamente onde pensamos que Ele não esta.

"Nações se abalam. Tudo passará"; Estamos vivendo em um tempo, que as nações têm sido prejudicadas por abalos naturais. Como por exemplo, o acontecimento do mês passado no Japão. Qual levou muitas nações a se compadecerem. E é exatamente nessas ocasiões que me apego na palavra: "Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido" (Mateus 5.18).

"Mas minha rocha não se moverá. Meu coração não vai parar de adorar" 
Como nos falta essa coragem descrita na frase, não é mesmo? Mas é isso que eu peço.

"O Senhor deu, e o Senhor tomou". Há tantos momentos, que Deus nos dá tantas coisas, e por nossa pouca fé, por nossa falta de compromisso, Ele tira de nossas mãos.
Foi assim, desde o princípio. Deus deu a Adão e a Eva o livre arbítrio, o Éden, a perfeição. Eles tinham o mundo perfeito e eram perfeitos. E por desobediência, perderam tudo aquilo que Deus havia vos dado. E o Apóstolo Paulo nos deixou uma exortação importante: "tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé; se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo; ou o que exorta, faça-o com dedicação; o que contribui, com liberalidade; o que preside, com deligência; quem exerce misericórdia com alegria". Ou seja meu querido:"Cuide do que Deus dá em suas mãos". 

Quebrando o Silêncio

Meu clamor não se corrompeu.
Meu amor não diminuiu.
Ele é o mesmo. Sempre o mesmo.
Será fiel até o fim.

Não vou me abalar.
Se não me conformo: Não vou me calar.
Se tudo o que tenho é minha voz: vou gritar.

Eu quebro o silêncio
Eu quebro o silêncio Por ti.

Meu grito é por compaixão.
Eu canto a justiça de Deus.
Eu choro a dor de um pai que perde o filho.

Eu clamo a oração que rompe barreiras,
que vence o medo, que passa o vale,
que chega até os céus e traz seus milagres.

Traz teus milagres, traz teus sinais.
Preciso dizer algo?

Preciso: "Dance sobre a dor e sobre o silêncio. Quebre o silêncio" 
E então, você sentirá e verá a glória do Pai sobre sua vida. Seja profeta!

Soli Deo Glória;
Thaís Lira

12 de fev de 2012

Vale da Vida - Convite


A Cia. Geração Profética estará no dia 03 de Março às 19H na Igreja Evangélica Vale da Vida, localizada na Avenida São Miguel, nº 5378 no Bairro São Miguel Paulista em São Paulo - SP. Por isso, se você esta próximo à São Miguel Paulista não deixe de estar conosco neste evento. Acreditamos que será maravilhoso. O evento é gratuito! Então, venha juntamente com sua família e amigos, engrandecer o nosso Criador através da música (Banda Geração Eleita) e dança.

Graciosamente;
Cia. Geração Profética

9 de fev de 2012

Dica da Cia: Coque em 6 passos

Olá queridos bailarinos!


Hoje, resolvi não postar a aula digital. Achamos melhor publicar apenas três vezes por semana, para aproveitarmos melhor o espaço do blog e trazer variedades para vocês. 


Hoje, por exemplo, trouxemos a vocês dicas muito especiais sobre um coque simples que você poderá fazer para dançar em qualquer ocasião (principalmente na hora da pressa). É um coque rápido, prático e bonito. Confere ai!




A mocinha da foto (que eu ainda não descobri quem é, pois retirei a foto do Facebook) tem bastante cabelo. Talvez o coque não fique tão bonito em quem tem uma quantidade menor de fios. A sugestão é que você coloque um "paninho" mais fino, pra que se ajuste a sua quantidade de fios. Se perceber que o tecido esta aparecendo quando estiver no 4º passo, então, recomece com um tecido menor até ajustar.


Boa sorte!


Até amanhã!


Cia. Geração Profética

8 de fev de 2012

Apostila Digital - Módulo 1 - Lição 04 - A educação e a dança

ATENÇÃO: PARA VER A 3ª AULA ON LINE CLIQUE AQUI.
Para melhor desempenho durante a leitura, tenha por perto o glossário da dança.
(Disponível na barra lateral do blog)

Módulo 1 - Lição 04 - A Educação e a dança

A dança é uma ótima colaboradora para a educação adulta e infantil. Principalmente para quem não tem muita prática com números. Na aula de hoje, você conhecerá várias formas em que os números se encaixam perfeitamente a dança.

Segundo pesquisadores, a criança tem o impulso inato de realizar movimentos similares aos da dança. Um bebê de cinco meses, já apresenta manifestações dançantes. 
Por isso, a dança tornou-se importantíssima não apenas para entretenimento, mas para desenvolvimento e educação. Além disso, a dança trabalha o emocional e promove diversos exercícios mentais, também. Diga-se de passagem que a Dança deveria ser uma disciplina obrigatória no primário e ensino fundamental. Se isso houvesse acontecido há muitos anos atrás, teríamos um histórico de pessoas mais unidas, mais expressivas, mais espontâneas e mais saudáveis, também.

_

A dança como aprendizado pode ser integrada ao conhecimento intelectual, criatividade e além disso, desenvolve pilares na educação. Segundo Marques, 
“há um vínculo quase que ‘a priori’ entre dança e educação, pois o movimento é a base das ações e comportamentos humanos, os quais são trabalhados pela escola”. (Marques, 1990, p. 20).

Além disso, no livro afirma que a dança é excluída do currículo escolar porque muitas vezes é vista apenas no seu sentido restrito, esquecendo-se que esta é importante por muitas razões.
 Primeiramente porque é dinâmica e viva, despertando o interesse da criança e proporcionando prazer e vontade. Em segundo lugar porque cria companheirismo entre os parceiros, e por último, porque oferece oportunidade para uma completa integração física, psíquica, moral e intelectual.

Em relação ao aspecto cognitivo, Cavasin mostra que a dança pode proporcionar um amplo desenvolvimento corporal, “lapidando a personalidade do educando através de uma consciência corporal em relação ao próprio mundo e ao mundo do outro”. (Cavasin, 2006, p.2). Desta forma, ressalta que o ensino de dança na escola visa o processo criativo e pode-se estabelecer relações entre a dança e outras disciplinas, como a matemática, por exemplo.

Ossona, por exemplo, relaciona a melodia da música e seus níveis, alto (sons agudos) e baixo (sons graves) com a dança e a matemática.  “Nos primeiros tempos far-se-á com que os alunos se movam seguindo esta regra de imitação e também relacionar os graves com a dimensão de largura e os agudos com as figuras estreitas; igualmente poderá relacionar os sons graves com os planos anteriores e os agudos com os posteriores, trabalhando desse modo com a dimensão de profundidade”. (Ossona, 1998, p. 117)

Outra abordagem possível, citada por Cavasin, é, dentro de uma coreografia determinada, promover a utilização de todas as formas de numeração possível, como contar o número de participantes e de movimentos, e também, verificar quais as figuras geométricas formadas com os movimentos realizados. Sobre este último aspecto, Coelho faz uma relação com as danças folclóricas. Essencialmente, diz que na maioria das vezes as danças de diferentes povos e culturas são danças circulares, mas podem ser também em forma de linha ou espiral. Explica que o que diferencia a dança de uma cultura de outra é a consciência tida pelos participantes, visto que as formas geométricas coincidem.

Fontes: Youtube, Passos e compassos e Wikipédia.

7 de fev de 2012

Apostila Digital - Módulo 1 - Lição 03 - Composição da dança

ATENÇÃO: PARA VER A SEGUNDA AULA ON LINE CLIQUE AQUI.
Para melhor desempenho durante a leitura, tenha por perto o glossário da dança.
(Disponível na barra lateral do blog)
Módulo 1 - Lição 03 - Composição da dança


A COREOGRAFIA
Os ensaios, treinos e aulas de dança são fundamentais para o melhor desempenho dos bailarinos. Os professores e coreógrafos, são responsáveis pela composição e combinações da dança com a música. Eles colocam as formas e os movimentos na música.

A elaboração de uma coreografia envolve não apenas estudo, mas habilidade e dom.  Pois, além de encaixar passos em uma música, é necessário utilizar elementos que conciliem com o tempo, energia e espaço.

Foto de: Kalinesia
O TEMPO
Tempo abrange velocidade, sintonia e ritmo entre a música e os movimentos. Usando o tempo da música corretamente à dança, você poderá criar efeitos visuais extraordinários, e elaborar uma coreografia com muita facilidade. É necessário aprender a contagem da dança. Assim como na música o tempo é "Quatro", na dança é o tempo de "Oito". 

Dinah Perry

ENERGIA
Relaciona-se com a qualidade do movimento. Alguns tipos de danças e ritmos, exigem coreografias mais suaves e macias, como por exemplo, o Balé Clássico. Já outras, exigem coreografias mais duras e energéticas, como por exemplo, a Dança de Rua ou ritmos brasileiros como: Axé, Pagode, Forró e outros. Por isso, é necessário que haja uma preparação física completa, antes de quaisquer coreografias, para que os movimentos sejam executados com perfeição.

Mauro Scheinder, da Cia Repentistas do Corpo


ESPAÇO
O espaço é a área onde os bailarinos executam as coreografias. Por isso, é necessário conhecer bem o espaço onde a coreografia será apresentada, para que o resultado final seja conforme o esperado. No espaço, há níveis que os bailarinos precisam conhecer. Como por exemplo: Movimentos em piso baixo (ou solo), movimentos em pé e movimentos altos. Além disso, o espaço refere-se a como os bailarinos se movem de um lado para o outro; são trabalhadas as direções. Tais como: reta, curva, diagonal e outras direções.

Exercício de Aprendizagem:

Agora que você aprendeu as principais composições da dança, vamos colocar o aprendizado em prática.

Escolha uma música em uma modalidade de sua preferência (country, jazz, balé, reggae, axé, etc). Após ter feito isso, tente montar em um tempo de "oito", uma breve sequência de passos formando uma pequena mostra de coreografia, utilizando o tempo, energia e espaço. Após isso, coloque a música e tente acompanhar o ritmo colocando os passos que você elaborou na coreografia. 

RESULTADO FINAL

Para saber se o resultado final foi o resultado esperado, você terá que ter a percepção de saber se você conseguiu utilizar o espaço, tempo e energia corretamente.

Caso tenha dúvidas, mostre ao seu coreógrafo ou professor a pequena mostra de coreografia que você fez. 

Esperamos que tenham gostado! Até amanhã!
Fontes: Ascending Star Dance e Youtube
Estudo elaborado por: CIa. De Dança Geração Profética

Ministério de Dança Hágios - Rebeca Oliveira

Olá pessoal! Como vão?
Esperamos que tenham tido um ótimo dia.
Hoje, trago a vocês o belo testemunho de minha 'parceira ministerial', Rebeca Oliveira do Ministério Hágios. A forma que nos conhecemos foi bem inusitada; através de minha amiga e irmã Ivie Elen (Líder do NGC dance). Mas falaremos sobre isso em breve. A Rebeca estará conosco semanalmente e será uma das colaboradoras do blog. Esperamos que vocês gostem! E não deixem de conhecer o Ministério Hágios! Beijos e queijos!

Thaís Lira - Cia. De dança Geração Profética









Me chamo Rebeca Oliveira, tenho 18 anos e sou de Cubatão - São Paulo. Nasci em berço evangélico e faço parte da Igreja Assembléia de Deus. 


Com 12 anos, comecei a participar do ministério de dança de nossa igreja. No início não tinha muito conhecimento com relação ao verdadeiro propósito que era "Dançar para Deus". Por isso, dei um trabalhão para minha líder! Fiz muita birra, cara feia e pirraça.
Mas como todo bom líder, ela não desistiu de mim. Através da palavra, ela ministrava sobre minha vida e assim fui tocada. E algo diferente aconteceu comigo!


A partir daí, passei a me dedicar mais ao ministério de dança. E através dessa mudança que eu tive, surgiu dentro de mim o enorme desejo de auxiliar minha líder a levar o trabalho adiante. O que não foi uma tarefa muito fácil. Por fazermos parte de uma igreja com raízes tradicionais, infiltrar a dança na igreja foi uma tarefa árdua. Sofríamos rejeição de todos os tipos. Até entendiamos, pois a igreja não tinha o conhecimento e não conseguia entender o verdadeiro sentido da dança.


Mas mesmo assim, não desistimos. E aquele sentimento que eu sentia de continuar me dedicando e trabalhando, crescia cada vez mais. E além das técnicas e todo o conhecimento geral sobre a Dança, nós do ministério Hagios, nos dedicamos a Dança Profética.


Aprendi e entendi que quando dançamos, as pessoas podem ser curadas, libertas e transformadas pelo poder de Deus, através de nós.


Mas chegou um dia em que minha líder desistiu do ministério. E infelizmente, o grupo foi desfeito. Meu coração se entristeceu, pois aquele acontecimento foi como um punhal em meu peito, que estava tão apaixonado pela dança. Mas eu não desisti. Comecei a estudar. Lia livros sobre dança, sobre ministério de louvor e adoração, assistia vídeos-aulos... E até entrei na aula de Balé Clássico. 


De hora em hora, eu me questionava a Deus o motivo de eu estar me dedicando tanto a algo que se quer eu tinha uma perspectiva de como executar dento da igreja. "Tenho só 14 anos", eu pensava. Mas o tempo foi passando, e como sempre, Deus prepara situações para que o plano Dele seja executado com perfeição. E eu acredito que tudo o que passamos foi plano de Deus.


Um certo dia, uma professora do Departamento Infantil de minha igreja, me convidou para liderar um grupo de dança infantil. Apesar do medo (por ser muito nova), eu aceitei. Ali, naquele pequeno grupo, tudo o que eu havia aprendido naqueles anos, eu tentava passar para elas. E como diz a palavra de nosso Deus: 'Todas as coisas contribuem para aqueles que esperam e amam a Deus". 


Todo o processo que passei, me ajudaram nesse momento. E graças à Deus, eu obtive êxito para a glória de Deus. E hoje, aquele grupo de crianças, permanece firme. De crianças, passaram a ser adolescentes cheios de Deus.


A Rebeca é a segunda da esquerda para a direita.




Hágios


O ministério de dança Hágios foi criado 2009. Recebemos um convite para fazer a abertura de um congresso de jovens da minha igreja. Deus preparou uma parceira, irmã e amiga que estava com a mesma visão que a minha e com o mesmo propósito de levar o ministério a serio. Chamamos algumas jovens que já participaram do grupo de dança no passado e começamos a orar pra saber que música Deus queria para a abertura daquele congresso. E Deus nos deu. E a coreografia inteira também. Começamos os ensaios e passamos por muitas dificuldades, muitas lutas, uma verdadeira batalha espiritual.
Mas sempre orando! E chegando o dia do congresso Deus operou maravilhas e o que o Ministério Hágios ministrou ali no altar foi algo nunca visto ali naquela igreja e foi um experiência linda para todo o grupo. Inesquecível para toda a igreja!


E continuamos! Cada ano uma experiência diferente. Cada ano uma vitória. Muita coisa já mudou, hoje, eu acredito que a nossas maiores dificuldades, não tem sido a aprovação do ministério pela igreja. E sim as pessoas (os integrantes) entenderem o verdadeiro propósito que há em estar ali. Não trata-se apenas de uma apresentação, um passa-tempo ou um Hobby. Trata-se de estar no Centro da vontade de Deus. E isto é uma responsabilidade enorme sobre os bailarinos de Deus. 


Tenho certeza que Deus quer te usar tremendamente. Mas, para isso, você precisa se esvaziar de todo o seu "eu" e começar a adorar a Deus com SUA VIDA. Pra depois disso, adorar a Deus com sua dança. 


Ai sim! Seremos como flechas nas mãos de nosso Deus.


Que Deus abençoe a vida de cada um de vocês. Nos "veremos" em breve aqui no blog.


Deus abençoe! 
Rebeca Oliveira - Ministério de Dança Hagios

6 de fev de 2012

Apostila Digital - Módulo 1 - Lição 02 - Entendendo a dança

ATENÇÃO: PARA VER A PRIMEIRA AULA ON LINE CLIQUE AQUI.
Para melhor desempenho durante a leitura, tenha por perto o glossário da dança.
(Disponível em breve)
Módulo 1 - Lição 02 - Entendendo a dança

As primeiras manifestações de dança segundo as Idades


Alvin Ailey's Blues Suite

Considerando a tabela cronológica de Curt Sachs e juntando a ela as idades aproximadas de acordo com a Enciclopédia da Civilização e das Artes de B.M.Ugolotti, podemos dividir as primeiras manifestações de dança, em dados gerais, em seis períodos:
                     Período paleolítico inferior - 1000.000 anos a.C. - primitiva cultura básica: dança circular sem contato.>
                     Período paleolítico médio - 350.000 a 75.000 anos a.C. - culturas básicas médias: pigmeus (dança circular sem contato e danças animais) e pigmóides (dança circular sem contato e danças convulsivas).
                     Período paleolítico superior - 75.000 a 15.000 anos a.C. - últimas culturas básicas: tasmanóides e australóides (dança circular sem contato, danças animais, danças serpentinas e danças sexo-lunares).
                     Período mesolítico - 15.000 a 10.000 anos a.C. - primitivas culturas de tribo: totemistas (danças de máscara, danças animais, danças circulares com contato, danças sexuais masculinas) e primitivos agricultores (danças de máscara, danças circulares corais, danças lunares e danças fúnebres).
                     Período protoneolítico - 10.000 a 3.000 a.C. - culturas de tribo médias: cultura do animal de cornos (danças circulares, danças animais, danças de par) e última cultura agrícola (danças de vários círculos, homens e mulheres dançando em linhas opostas).
                    Período neolítico - até 1.000 anos a.C. - Idade do metal: senhorial e últimas culturas de tribo: campesina (danças mistas de pares, dança de abraço, dança de galanteio, dança do ventre).

O que é a dança:


dança é uma das três principais artes cênicas da Antiguidade, ao lado do teatro e da música. No antigo Egito já se realizava as chamadas danças astroteológicas em homenagem a Osíris. Na Grécia, a dança era frequentemente vinculada aos jogos, em especial aos olímpicos.[1] A dança se caracteriza pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia) ou improvisados (dança livre).[2] Na maior parte dos casos, a dança, com passos cadenciados é acompanhada ao som e compasso de música e envolve a expressão de sentimentos potenciados por ela.
A dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento ou cerimônia. Como arte, a dança se expressa através dos signos de movimento, com ou sem ligação musical, para um determinado público, que ao longo do tempo foi se desvinculando das particularidades do teatro.
Atualmente, a dança se manifesta nas ruas em eventos como "Dança em Trânsito", sob a forma de vídeo, no chamado "vídeodança", e em qualquer outro ambiente em que for contextualizado o propósito artístico.


Significado da palavra:
s.f. Série ritmada de gestos e de passos.

Modo de dançar.
Baile.
Meter alguém na dança, envolvê-lo numa questão em que não tomava ou não queria tomar parte.
Entrar na dança, meter-se numa empresa, num negócio.
Dança clássica, conjunto de movimentos e de passos elaborados em sistema e empregados no ensino coreográfico.
Dança nobre, estilo de dança da escola clássica francesa do séc. XVIII, caracterizada pelo andamento e a postura harmoniosa dos intérpretes.
Dança de salão, dança executada nas reuniões e nos dancings.
Dança de São Vito, nome popular da coréia, doença que obriga a movimentos bruscos; o mesmo que dança de São Guido.


Vídeo demonstrativo de alguns ritmos e danças: 




Exercício de aprendizagem:

Agora que você entendeu o que é a dança, vamos fazer um breve exercício.

Pegue uma folha de papel e resposta:

1. Analisando os estudos feitos acerca da Dança por Idades, qual foi a primeira dança a ser manifestada?

2. Como funcionava a dança no Egito e na Grécia?

3. Qual o significado básico da palavra dança?

4. Quais sãos os principais ritmos apresentados na aula de hoje (vídeo-aula)?

5. Faça uma relação de ritmos e danças que você conheça.  


Verifique suas respostas.

PARABÉNS!

Até a próxima aula!



Fontes: Portal da Família, Wikipédia, Dicionário Brasileiro, Youtube
Estudo elaborado por: CIa de Dança Geração Profética

5 de fev de 2012

O que é dançar?



"Dançar! Dançar é render-se ao infinito mundo das notas musicais, onde em uma única canção, somos capazes de viajar por um infinito. Dançar é sorrir! Rodopiar no palco da vida. Dançar é estar acompanhado, é estar só, é estar vazio, é estar cheio. Dançar é não pensar em mais nada a não ser em romper limites; a cada passo a satisfação de sonho realizado. Como se os sonhos fossem cada passo. Passos da vida. Uma busca não apenas física, mas espiritual de sentir-se livre. De sentir-se livre. De sentir-se LIVRE! Para ser quem quiser ser; mover-se para ser. Por isso DANCE! Dance por você, dance pelos outros, dance por alegria, dance sobre a dor, dance nas lutas, dance por vitórias, dance na chuva, dance na sequidão, dance em um dia qualquer, dance em dias especiais... Seja aonde for, dance! E não importa se a música da vida mudar o compasso, pois o que realmente importam são os marcos de seus passos." (Thaís Lira)
— 

Entrevista - Águias na Dança - Pra. Érika Alves


É com muito amor e carinho, que apresento a vocês, a entrevista que fiz há poucos dias, com a Pastora Érika Alves, líder da Cia de Dança mineira: "ÁGUIAS NA DANÇA" (Igreja Batista Getsemani).

Espero que gostem e sejam abençoados por ela, que além de ser uma grande pastora, é uma pessoa brilhante.

Atenciosamente;
Thaís Lira



Como e quando começou a Cia “Águias na dança”?
A atitude de montar a Cia. De dança, partiu de você?


O Águias na dança, surgiu em 2006, durante algumas viagens que estava fazendo juntamente com um ministério de louvor da Igreja Batista Getsemani, que rodava pelo Brasil. Em uma noite, durante uma ministraçao, o Senhor me trouxe uma visão sobre um ministério que fosse composto por pessoas que desejassem sair fora do normal, dos parâmetros que até então, conhecíamos como dança cristã. Apesar de ser uma visão maravilhosa naquele momento, esbarrei com uma dificuldade muito séria: não possuir pessoas que me acompanhassem ou entendessem onde queríamos chegar.
Demos um passo inicial, eu e a hoje pastora Nayara Assis. Fomos caminhando juntas, e a única coisa a se fazer era orar para que o Senhor nos trouxesse pessoas "loucas", que mesmo sem entendimento de onde queríamos chegar, simplesmente dessem também um passo em direção a isso. E o Senhor foi agregando essas pessoas uma a uma: os Pastores Willian e Ana Luiza, alguns líderes que conhecíamos em nossa igreja, e enfim, alguns permanecem até hoje, os outros seguiram novos caminhos. E nós estamos aí, da forma que somos hoje. 

Você mencionou: "Um ministério que fosse composto por pessoas que desejassem sair fora do normal, dos parâmetros"... O que quer dizer com isso?
Qual é a maior diferença que consegue enxergar no “Águias”, comparando- o a outros ministérios?

O ministério de dança está hoje, em franco crescimento no meio cristão, porém, é como uma criança em desenvolvimento. Ainda nos esbarramos no que tange ao entendimento desse chamado, sua finalidade e objetivo. Ainda temos igrejas a conquistar, pessoas que nos vejam como ministros, que saibam onde querem chegar. A superficialidade em que muitos de nós tem se mantido, levando essa obra como “banal”, fútil, tem nos impedido de chegar ao TODO de Deus com essa obra.
Temos crido que isso que fazemos pode curar enfermos, ressuscitar mortos, salvar vidas? Temos entendido para o que fomos de fato chamados?
As pessoas loucas que queríamos e ainda queremos ser e encontrar são pessoas que talvez nem dancem tão bem, talvez sejam aquelas a quem a maioria não de muito valor. Ou também aquelas que possuem muito conhecimento e técnica perfeita. Talvez sejam muitos os tipos que passam por nós durante uma caminhada ministerial, mas uma característica é essencial e certeira: o desejo de viver e servir a Deus de maneira profunda e sem limites. Levando essa obra a tocar o céu e fazê-lo descer todas as vezes que nos movimentarmos para Ele e por Ele. É ter na dança uma pregação, algo que atraia o Senhor para nós e nós para Ele. De forma que quem estiver ao nosso redor não consiga ficar imóvel, estático, e simplesmente deseje conhecer isso também.  Deseje conhecer o Deus que nos leva a isso.

Você sempre dançou?
Antes de todo esse acontecimento... Você já dançava?

Jamais! Vim de uma formação teológica (sou bacharel em teologia) e era sem dúvida uma das mais incrédulas quanto ao poder disso que fazemos, e resistente a ótica sobre a dança como chamado. Antes de minha conversão não dançava em nada, em lugar nenhum. Fiz o curso de Teologia tendo como objetivo: missões. Ajudava como auxiliar o Pr. Lucio Barreto e ele me convocou para acompanhar o grupo “COWBOYS DE JESUS” como discipuladora e assim fiz. Com o tempo foi impossível não me envolver com a dança, pois era a única forma de trazer para perto os que estavam comigo, era necessário falar a língua deles. Fiquei lá durante algum tempo e quando já estava deixando o grupo tive uma experiência com Deus onde Ele me dizia que eu iria trabalhar com esse tipo de ministério (dança no louvor e adoração), e ri sozinha, sentada no banco. Pois era a mais sem recursos para isso. Nada, não tinha nada que me ajudasse: não levava jeito, não era o tipo de garota que alguém visse e sequer pensasse em mim para algo do tipo. Vim por pura obediência e por algumas provas que fiz com Deus em relação a isso. Quando entendi que era mesmo esse o caminho orei: Deus se é aqui, me leva no 100%.

Acho que não saio nunca mais não é? Nunca vamos conseguir o 100% nas coisas de Deus! Ele sempre tem mais!

Você acredita que a teologia por alguns instantes "fechou seus olhos"? Pensa que a teologia aproxima as pessoas da religião e afastam as pessoas de Deus?
Qual sua posição, quanto a isso?

Não que a teologia me tenha "fechado os olhos". O meio de onde vim, não é muito diferente do contexto de algumas igrejas, onde crêem que Deus pode falar de várias formas. Que obedeça ao padrão do que entendemos ser "o agir de DEUS". Entendemos que sério é o ministério pastoral, o de louvor, o de ação social... Mas dança? O que é isso? Dança é para um monte de "desocupados" que ficam lá até fazerem algo realmente sério na vida.

É comum vermos isso até mesmo de forma mais discreta, velada... Mas ainda existe e é muito comum. Quanto à teologia, nos aproximar de religião e nos afastar de DEUS, creio que como o apóstolo Paulo nos disse, devemos procurar entender quais são as razões de nossa fé. Deus é tão Deus e sua obra é tão viva e real, que quanto mais adquirimos conhecimento, mais somos obrigados a nos prostrar diante de um DEUS, que quanto mais debatemos, mais sem saídas e respostas ficamos diante de sua manifestação. Não é possível ignorar a realidade de sua existência, não é possível considerar a chance de termos vindo do acaso. A teologia na verdade, quando usada corretamente, só nos aproxima de DEUS, das razões que nos levam a segui-lo por voluntariado. Deus não teme ser questionado. Tem todas as respostas para todas as perguntas que fizermos. Errado está o ser que inverte posições e pensa: tenho certo conhecimento sobre Deus então me torno dominador Dele, da sua ação, de seus pensamentos, de suas verdades. Inverte posições e se perde em arrogância e conceitos sobre si mesmo. Isso só demonstra que não aprendeu a maior verdade teológica: Deus é tão Deus que pode agir, falar, se manifestar, revelar, dominar, da forma que quiser,quando quiser, a quem quiser. Ele não trai a si mesmo, não mente, faz tudo dentro das verdades que nos estabeleceu como rumo em sua Palavra. E ponto final. 



Nessa caminhada... O “Águias”, já realizou muitos eventos em Belo Horizonte, não é mesmo? Há algum projeto para outros estados brasileiros?

Sim existe um grande projeto que começar a colocar em prática durante o congresso desse ano. É LIGA ÁGUIAS NA DANÇA e ela consiste e criar uma rede, que já começou a ser formada, com ministérios de todo Brasil que desejem se filiar. A liga consiste em estender nosso trabalho, dando a todas as oportunidades de trocarmos experiências e crescermos juntos. Através dela poderemos conhecer ministérios diferentes, e manter em contato uns com os outros. Daremos assistências em congressos, ajudaremos na viabilização dos mesmos, auxiliaremos em questionamentos, feitio de vestes, solução de conflitos, enfim, é um pastoreio "a distancia". Quem se interessar VAI se filiar em nosso site, que será lançado em nosso congresso, fazer um cadastro e assim começaremos tudo!
Temos através dessa visão o objetivo de criarmos impactos nas cidades, formarmos líderes e fazer com que essa obra ganhe cada dia mais peso no Reino de Deus. Nossa visão não é a nossa "promoção", mas criar e auxiliar grupos que mantenham sua visão e identidade, e nós simplesmente vamos potencializar o que eles já têm como características que Deus implantou em cada um.

Vocês têm algum projeto social, que tenha envolvimento da dança?
Conte um pouco.

Sim. Começamos a adotar esse ano uma ONG cristã, que desenvolve um trabalho em uma cidade da região metropolitana de BH. O trabalho consiste em utilizar a dança como "linguagem" de alcance para jovens, crianças e adultos. A dança funciona como uma vara de pescar. Através do individuo alcançamos a família e temos a oportunidade de auxiliar nas questões sociais, colaborando nas necessidades de alimento, roupas, material escolar, e afins. Anteriormente fazíamos impactos isolados em locais como creches, asilos, comunidades e demais, porém esse ano, tivemos a vontade acompanhar mesmo por um tempo mais longo e assim vermos e participarmos dos resultados.

Quantos integrantes o Águias tem atualmente?
Somos em torno de 25 pessoas entre componentes e auxiliares.

Você se considera MÃE desses 25?
Como se sente? Mesmo sendo tão jovem, com uma responsabilidade e um chamado tão grande?

Bom, a finalidade do “ÁGUIAS”, é a formação de líderes. O objetivo é pegar os que começam como filhos e torná-los pais de outros. Procuro desenvolver uma relação de parceria e respeito, respeito e quero que o potencial de cada um venha à tona. O desafio maior é colocar em afinidade visões fortes que cada líder naturalmente tem.
Mas é maravilhoso quando conseguimos isso. Considero-me uma facilitadora, alguém que quer abrir caminho para que outros venham e façam ainda melhor, ainda maior, ainda mais poderoso. O desejo maior é que olhem pra mim e vejam que se pra mim foi possível, pra eles também é.

Sou mãe, sou irmã, sou amiga, sou filha, sou pastora e ovelha.
Sou o que é necessário ser, quando é necessário. O crescimento na vida ministerial deve ter isso como um dos pilares principais: saber ter um lugar e dar lugar. Não somos eternos, mas, podemos realizar uma obra eterna. Quando entendemos o nosso lugar diante do Pai amado: o de servos Dele e uns dos ou outros, nos tornamos mais eficientes na vida com Ele. É isso que trabalho basicamente com todos que caminham junto comigo.


Para encerrar... Qual o recado que deixa para as pessoas que lêem o Brasil Personalidades? E em seguida, suas considerações finais.

RECADO A TODOS QUE VÃO LER:

Dentro de cada um de nós existe algo maravilhoso que o nosso Criador quer trazer a tona. Dentre tantas coisas nas quais podemos investir nosso tempo, nosso suor, nossos pensamentos e sentimentos.
Nada valerá mais do que descobrir esse tesouro que Ele plantou dentro de você. É exclusivo. É seu. São características únicas que te farão viver coisas que outros não poderão viver e fará com que você se sinta mesmo especial. Nunca abra mão dessa descoberta, seja incomum e nade mesmo contra a maré. Seja o oposto do que todos são, seja aquele que verá milagres, que tocará o impossível. Um convite é feito para nós todas as vezes que abrimos nossos olhos para mais um dia, o próprio Criador nos convida e olhar para Ele e simplesmente se tornar quem Ele sonhou. Empenhe sua vida nisso, e certamente marcará a história da sua geração
.

CONSIDERAÇÕES FINAIS: 

Agradeço ao Senhor por Ele nos sustentar e capacitar a dar mais alguns passos.
Que o que Ele tem nos dado seja de todos e para todos.
Nossa existência consiste em “fazer valer” o fato de termos sido trazidos a existência. Nada menos do que a glória DELE, em nós e através de nós.

Obrigada ao Brasil Personalidades e Thais Lira, pela oportunidade. Que o Senhor abençoe muito. Espero que tenha sido construtivo. E que tenha edificado a você como repórter e como pessoa. Assim é o meu desejo também, para cada pessoa que lê esse blog.


Gostou? Para saber mais sobre o “AGUIAS NA DANÇA”, ACESSE:
www.getsemani.com.br/aguiasnadanca

Esta entrevista foi feita pelo site: www.brasilpersonalidades.com em 2011